um blog de inspirações e expirações

3.8.13

diário de leitura: precisamos falar sobre o Kevin - final

Cena do filme. Kevin e a irmã, Celia. Foto: Adoro cinema.

De janeiro até o mês atual, agosto, eu li 26 livros. 
Precisamos falar sobre o Kevin foi um dos primeiros do ano, comecei logo em janeiro, ao mesmo tempo em que comecei os livros de As Crônicas de Gelo e Fogo, e paralelo a todos os outros livros que li, só agora consegui terminar (beijo, Analu). 

As razões por eu ter arrastado essa leitura por tanto tempo – 8 meses é disparado o meu recorde! Acho que eu nunca vou conseguir bater essa marca extrema de lerdeza, hahaha – já estão mais que explicadas para quem acompanhou as primeiras duas partes desse diário de leitura, mas no fim das contas, nem eu mesma tenho certeza absoluta do porque de eu não consegui engatar. É um livro fabuloso, chocante e, milhões de vezes, muito bem escrito. 

Como eu sempre falei mal da Eva, abri esse parágrafo para me redimir um pouquinho. Mas só um pouquinho mesmo porque a minha opinião maior sobre ela não mudou: Eva é uma burguesa chata e egoísta que se arrependeu do filho que teve. Não consegui sentir compaixão por ela, mas senti um pouco de simpatia no final do livro, devido à uma certa atitude dela em relação ao Kevin. Ela nunca vai amar aquele menino, mas no finzinho das contas, se você olhar com muito afinco, ela não é uma mãe tão ruim assim. 

Sobre o Kevin, eu continuo com a mesma tese também: um psicopata que tinha ressentimento da mãe porque ele sempre soube que não era um filho amado. E tudo o que ele faz, todas as maldades e crueldades foram uma maneira de se exibir para a Eva, uma maneira de mostrar para a mãe que ele é especial de alguma maneira, mesmo que essa maneira seja muito torta. 

“Quando a gente monta um show, não atira na plateia”.
Kevin disse para a mãe, em resposta a uma pergunta que ela fez.

Em nenhum momento senti raiva ou asco do Kevin, pelo contrário, desde o começo, o enxerguei em parte como vítima, se é que eu posso colocar dessa maneira. Assim, apesar de tudo o que ele faz, de toda a frieza e desumanidade, até meio que gosto do Kevin. Acho que é porque eu sempre detestei a Eva mesmo, e sempre vou sentir que a culpa foi dela. Eu enxergo o Kevin como um psicopata, então, ele não tem realmente culpa, porque é uma condição, ele nasceu assim, naturalmente frio, calculista, e sim, mau. 

Apesar da historia ser chocante, e dos acontecimentos serem cruéis, eu não fiquei muito surpresa porque eu já sabia o final da historia (tinha assistido o filme quando ainda estava no começo do livro). De qualquer forma, acho que foi bom porque me proporcionou uma nova maneira de aproveitar o livro, avaliando as diferenças entre um e outro, assimilando os detalhes que ficaram foram do filme e imaginando as personagens com os rostos dos atores.

Simplificando:
  • É um ótimo livro, com uma escrita maravilhosa, embora cansativa (para mim, a Analu e a Lux leram rapidinho).
  • É um livro pesado, então imagino que algumas pessoas realmente não gostarão dele.
  • Dei 4 estrelas no Skoob, mas poderiam ter sido 5, se não fosse o fator desconhecido que me fez arrastar a leitura por todos esses meses.
  • Eu recomendo para quem gosta do gênero (para os mais preguiçosos: o filme vale muito a pena e quase substitui o livro. Quase, né?)
Ufa!

12 comentários:

  1. cantar é tão bom, poxa hahahaha
    cara, preciso desse livro hmmmmmm Tava doido pra baixar o filme, dar umas espiadas e tal, mas ler... É OUTRO NÍVEL!
    PS: quero ver o filme por causa do Ezra. SEMPRE!

    já trocou de layout tanto assim? Cara, já troquei umas 6 ou 7, seila rss

    lukas - presentedegrego.net

    ResponderExcluir
  2. Oii Gabi, eu vi o filme, mas não li o livro e nem quero também. Achei muito bom o filme, forte também! Deu medo rsrs

    chadecalmila.blogspot.com
    Fan Page > facebook.com/blogchadecalmila

    ResponderExcluir
  3. Por sorte, comecei a ler o livro sem saber de nada da história. Nadinha mesmo! E acho que foi isso que fez com que ele fosse tão forte e apaixonante ao mesmo tempo. Não senti raiva da Eva, nem do Kevin. Acho fantásticas as sacadas psicanalíticas desse livro e deve ser por isso que enxergo os dois personagens como vítimas (de quem? de quê? não sei explicar).

    Só sei que o livro é demais e eu até choraminguei pelo final.

    ResponderExcluir
  4. Eu tb faço isso de imaginar a cara dos personagens com a cara dos atores, no caso de ter visto o filme antes hehe.
    Mas eu acho até que a Eva se esforçou bastante como mãe, tentou entender o que o filho tinha de diferente e tals. Mas claro, não era a melhor mãe do mundo nem nada.
    Esse filme deve ser visto por todos que tem filhos ou pensam em ter, pq muitas vezes os pais não reconhecem a condição de maldade do filho (como é o caso do pai do Kevin), são meio cegos e acham que tudo que o filho faz é bonito e que algumas atitudes são passageiras, mas não são...

    ResponderExcluir
  5. É realmente pesado! E eu, que só vi o filme, ainda não consegui digerir tudo pra pegar o livro, viu.
    Mas confesso que ainda quero estar no momento certo pra ler.

    Um beijo!
    www.kvcomvoce.com

    ResponderExcluir
  6. Sério que você gostou do livro? Nossa, eu li e não consegui continuar a leitura. Parei logo no começo. Sei lá, não me identifiquei com a escrita.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  7. Vi esse filme esses dias, e devo dizer: É fantástico, principalmente pelas atuações fabulosas. Como você disse mesmo, a Eva é apenas uma mulher que se arrependeu da ideia de ter um filho. Para ela era só uma ideia que tinha tudo pra ser 'feliz', e não foi de forma alguma. E pelo que você disse, o livro deve ser melhor ainda. <3

    Não vejo muito psicopatia como condição de nascimento (eu almejo a faculdade de psicologia, então acompanho algumas teorias e estudos contrários à essa teoria XD). Aliás, até hoje não entendi muito bem a razão dele chorar o tempo todo que estava com a mãe, era algo que me intrigava. =/

    Enfim, já seguindo, blog LINDO <3
    http://www.costurologovisto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu ia comentar ontem, dizendo que queria ler e ver o filme. E ontem a noite mesmo passou o filme no telecine. Muito interessante!
    Beijos

    Blog: Reenoceronte

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li o livro nem vi o filme, mas quero fazer as duas coisas! :-)

    ResponderExcluir
  10. Seu blog é muito incrivel, já seguia ha um tempinho, super acompanhando aqui, se puder da uma força seguindo o meu tmb (:
    http://ghislleibrs.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Amei a resenha, Gabi! Estou morrendo de vontade de ler o livro mas não vi ele aqui na minha cidade ainda. Vou baixar o filme pra ver, pelo menos só para dar o gostinho hehe
    Ah, estou seguindo seu blog!

    Vem: Just Babis (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima resenha! Estou louca p ver filme!

      impertinavel.blogspot.com.br

      Excluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados