um blog de inspirações e expirações

9.8.12

descobrindo um futuro

daqui

Ontem senti que estou indo na direção certa profissionalmente. Durante toda a semana, na verdade, enquanto os professores/as falavam e nos explicavam os planos de ensino das novas matérias nesse início de semestre. Eu sentia arrepios, estou realmente empolgada. Fato que me deixa muito, muito feliz porque eu sempre fui completamente à deriva quando o assunto era uma carreira a seguir. Nunca fui aquela criança que já sabia o que queria ser quando crescesse, jamais fiz planos de ser astronauta, bailarina, médica ou sacoleira no Brás. Por isso, quando cheguei ao terceiro ano do Ensino Médio – na época eu não sabia – mas eu estava ferrada. Eu só tinha 16 anos e achava que não ia passar no vestibular de primeira, porque na minha cabecinha eu precisava ser um misto de Gênio da Lâmpada com Rainha da Cocada Preta, então não me esforçava para pensar muito no assunto. Claro que eu tentei testes vocacionais, mas eles só apontavam para Ciências Exatas, coisa que não me agradava nada, nada, mas foi exatamente onde eu fui parar no ano seguinte, 2008. 

Como eu sabia que não conseguiria entrar na faculdade de primeira, resolvi seguir a sugestão da minha mãe e fazer Licenciatura em Matemática*. Pois bem, fiz a inscrição, fiz a prova e... Passei. Meu Jesus, eu tinha sido aprovada! Todo mundo ficou feliz, inclusive eu. Mas depois de um semestre eu não aguentava mais aquilo, não era para mim, simplesmente. Então decidi fazer outros vestibulares até passar em outro curso. No segundo ano do curso de Matemática (2009), fiz vestibular na UFRPE (também em Garanhuns, que tem a estadual Universidade de Pernambuco e a federal Universidade Federal Rural de Pernambuco) e passei para Ciência da Computação. Mas eu sou uma topeira, confere? Como é que eu queria sair de um curso cheio de números para entrar em outro que era um combo: dobro da quantidade de cálculos + agravantes? Eu simplesmente não penso nas coisas. No terceiro ano (2010) resolvi tomar mais cuidado, então fiz ENEM e me inscrevi no SiSu e no ProUni. Não sou mesmo um misto de gênio da lâmpada com rainha da cocada preta, mas eu tenho aqui o meu valor, tá? Dessa vez eu tinha duas opções: havia sido aprovada em Engenharia de Alimentos na UFRPE, em Garanhuns (SISU) e em Odontologia na UBC, em Mogi das Cruzes, São Paulo (ProUni). Não precisei pensar muito até escolher a segunda opção, mesmo tendo que me mudar para uma cidade que fica a mais de dois mil quilômetros de casa. 

E cá estou eu, caída de paraquedas num curso que agora, no 4º período, quando as disciplinas específicas começam, agora que a gente começa a usar aquele bendito motorzinho, está me dando frio na barriga. Ansiedade. Empolgação. Eu estou mais que empolgada. Estou multimasterblaster empolgada indo em Manaus e voltando, saltitando como uma gazela, é claro. Certo que a partir daqui vou precisar vender um rim para pagar os materiais (Odontologia é um curso caro, onde os alunos compram TODO o material e instrumental ainda enquanto estudante), porque a cada semestre a lista aumenta juntamente com as cifras (queria mesmo saber por que o piso de dentista é SÓ R$1 200, isso mal paga a mensalidade, gente!). Nesse semestre, terei disciplinas como Radiologia, Dentística e Anestesiologia, pelas quais todos esperavam ansiosamente. Eu estou que não me aguento com tantos pterodátilos no estômago! Mesmo precisando gastar os tubos, o saldo é positivo, porque eu estou mais do que satisfeita com o meu presente e com o que serei no futuro. Talvez eu tenha descoberto o amor pela profissão e não poderia encerrar esse texto de um jeito mais feliz. 


*Eu era muito nova e minha mãe não queria me deixar ir estudar longe, então ficou decidido que eu faria vestibular em uma faculdade estadual em Garanhuns (cidade vizinha), a UPE, onde a maioria dos cursos é licenciatura.

10 comentários:

  1. Adorei a sua história e, ah, você terminou o colegial bem cedo, hein? Parabéns!

    Beijo,
    www.estanteseletiva.com

    ResponderExcluir
  2. Fico tão emocionada e tão feliz por você, beuxa. Sério mesmo, de verdade verdadeira! Eu queria me sentir assim, rs, e ter a mínima ideia de que tá valendo a pena e tal.
    Enquanto isso não chega, só posso dizer que senti muitíssimo orgulho de você nesse post!

    ResponderExcluir
  3. Ah, acho que o futuro me apavora, sei lá, eu queria mesmo trabalhar com algo relativo à escrita, por exemplo Jornalismo, mas acho que não dá muito dinheiro =/ Então, como eu gosto de ciências, pretendo me formar em medicina, mas não sei como, já que amo biologia mas odeio Química.

    Ahh, e você morava em Garanhuns é? Eu moro aqui *---* Amo minha cidade, mas no futuro pretendo morar em uma capital.

    Beijos!
    www.garotadeallstar.com

    ResponderExcluir
  4. Mulher pernambucana é arretada mesmo! Só faz o que quer! HAHAHHA.

    Adoooro essa terrinha, mas tenho planos de estudar algum tempo fora daqui. Recife é lindo e tal, mas tá insuportável! Ou, nem tanto assim, talvez, seja só um pouco de exagero meu. Sampa é tão insuportável quanto e eu amo mesmo assim. Talvez, eu seja indecisa.

    Quando entrei em Direito, minha empolgação era desse mesmo jeito da sua com Odonto. Achava tudo muito lindo. Quando terminei, vi que as coisas não eram tão lindas assim. Mas acho que isso acontece com qualquer pessoa graduada. Ou, assim eu acho que seja.

    Mas, não tive muita opção. Não gostava da área de saúde, e muito menos de exatas. Mesmo que hoje eu tenha um pé em Psiquiatria e Psicologia, pesquiso um pouco nessas áreas aliadas à minha, não acho que as seguiria profissionalmente...

    Enfim, já escrevi demais! rs

    ResponderExcluir
  5. Quem bom! Tenho vááários amigos que fazem Odontologia e AMAM. Queria "saltitar como uma gazela" em relação ao meu curso também, hehe. Mas agora, no sexto período, estou ficando mais animada, as teorias (puras e chatas) vão ficando cada vez mais para trás... (:

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Ai que legal! Espero poder saltitar como uma gazela de tanta animação com meu curso também. Começo a cursar Letras assim que essa greve acabar e estou louca de ansiedade rs
    Beijos!
    doceilusao.com

    ResponderExcluir
  7. Já mudei várias vezes de opinião quanto ao que quero ser. Isso porque talvez eu ainda não me veja como uma pessoa que possa ter uma área específica de trabalho. Me vejo como uma eterna aprendiz, uma estudante, uma pesquisadora. E sim, eu seria pesquisadora se isso desse certo aqui, abaixo da linha do Equador. Mas aqui é complicado.
    Espero um dia sentir esse amor por uma profissão, assim como tu diz estar sentindo agora. Isso é incrível. Ser apaixonada por sua escolha é uma bênção da qual todos deveriam partilhar.
    E boa sorte perfurando os dentes das pessoas! hahaha
    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Não importa quantas vezes mudou de curso. Se você agora está no que quer, é o que vale. odontologia, é? Bem, eu acho que a resposta é não, mas não custa perguntar: vocês tem aulas com cadáveres? Rs

    ResponderExcluir
  9. Obs: Pq vc odeia lolita?
    Ah, e a minha irmã tem 12 anos.

    ResponderExcluir
  10. Ao menos, você está cursando e curtindo Odontologia. E eu não sabia que era tão caro manter numa faculdade na área de saúde. Outra que o salário é muito baixo. Um médico recebe bem mais que isso.Mas,não desanime. Se é o que gosta,vai em frente. Eu que deveria ter caído na real e não ter continuado um curso com o qual desanimei. Comecei naquela energia, quando foi na hora do estágio (na qual te põe com a realidade),meu sonho foi por água a baixo. Mas,é a vida,fazer o que...
    Emilie Escreve | Fanpage | @blogabs

    ResponderExcluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados