um blog de inspirações e expirações

28.4.12

para uma amiga partindo


“(...) eu tenho uma porção de coisas pra te dizer, dessas coisas assim que não se dizem costumeiramente, sabe, dessas coisas tão difíceis de serem ditas que geralmente ficam caladas, porque nunca se sabe nem como serão ditas nem como serão ouvidas, compreende?” 
(Para uma avenca partindo, in: O ovo apunhalado, Caio Fernando Abreu). 


Estou triste. Não exatamente com você, mas com essa situação. Para você não há nada estranho, mas para mim há essa iminência de amizade quebrada. E olha, nem somos amigas “direito”: a gente nunca se vê. E quando, é rapidinho: tenho que ir, vou perder o ônibus! A gente nunca sai para lugar algum. A gente não tem foto juntas. A gente sequer já foi no shopping. Nada, nem mesmo essas coisas banais. Mas eu gosto tanto de você. Eu queria que você soubesse disso. Não me senti bem para dizer isso assim, na inbox do facebook porque como já falei, para você não parece haver nada errado. Então vim aqui no meu cantinho, te contar indiretamente o que anda me afligindo. Eu estou com medo de uma iminente amizade partida. Como a minha porta que se quebrou com a ventania de quinta-feira. Um sopro, uma batida e... espatifou. 

Então, eu vim de muito longe e a distância entre a gente diminuiu muito: de mais de dois mil km para uns míseros 50 km. E foi uma coisa tão impensada, improvável. Quem poderia prever que eu viria morar tão perto de você? Ainda sim tão longe. Porque somos amigas, mas somos distantes. Você nem sabia do meu BIG V, ou da falta dele. Uma coisa que eu sempre gostei em você: o seu feminismo. Admiro tanto esse abraço em prol das mulheres. E admiro mais o fato de você ser feminista/independente (mental e intelectualmente) e se manter fofa, gostando de histórias de princesas e ouvindo músicas da Taylor Swift ou da Belinda. Nós somos muito diferentes. Mesmo. Mas eu gosto tanto de você. 

Não fiquei triste por você não ter vindo comigo para a Feira do Livro (embora eu continue achando que você poderia ter vindo, nem que eu pagasse a sua passagem, mas não vou contestar os seus motivos porque eu estou na mesma situação: sem dinheiro para nada). Essa minha tristeza é por você ter mudado. Porque eu continuo achando que você está diferente, mesmo eu não sabendo explicar exatamente em quê. É como se aquele seu “abusinho” das coisas tivesse se expandido até mim, e agora eu também faço parte do rol dessas pessoas que te cansam. Isso é triste. Confesso que o mal entendido com aquela historia do livro também me deixou meio murcha. Como você realmente pode pensar que eu te atacaria gratuitamente em pleno facebook? É óbvio que era uma brincadeira. Porque entre amigos elas são permitidas. Como pode pensar que eu realmente diria isso sobre algo escrito por você? Por mais que você tenha dito que não, eu senti uma falta fé da sua parte em relação à ideia que tenho da pessoa que você é. E também em relação à pessoa que eu sou. Esse tipo de coisa, essa descrença na humanidade de cada pessoa, entristece a gente para caramba. Depois disso, eu fiquei pensando que você não sabe que é importante para mim. E que eu gosto tanto de você. 

Acho interessante como a gente vê essa situação de maneiras tão diferentes. Para você realmente não há nada diferente. Isso me espanta muito: de repente o problema sou eu? Hoje, você me deixou um recado: sonhou comigo. Eu era a sua professora de logaritmo. Olha, eu sequer estudei isso. Nem na escola, nem na faculdade. Com o drama ligado, digo que talvez seja uma pista dessas coisas que estão acabando. Eu não quero que elas acabem. Eu gosto tanto de você.

6 comentários:

  1. Poxa, Gabi... é tão ruim quando é assim.. quando a gente sente a amizade desmoronando e se sente impotente..
    :/
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. É terrível sentir uma amizade escorrer por entre os dedos, isso dói demais.
    Gabi não há código para pegar os seus layouts que estão disponíveis, como os pego? rs

    ResponderExcluir
  3. Noh, é ruim demais quando vemos que há algo diferente na amizade e não sabemos como melhorá-la.

    ResponderExcluir
  4. tão triste quando amigos se afastam assim :(

    ResponderExcluir
  5. Me identifiquei com essa sua amiga. Haha. Juro que pensei "nossa, isso é tão Sarah!". Uma pena essa situação flor. Tenho muitos amigos assim sabe? Os considero tanto mas isso quase nunca é recíproco. :(

    ResponderExcluir
  6. Essa nossa mania de esperar muito das pessoas, que às vezes nem se tocam o quanto gostamos delas... E acaba assim. :(

    Se eu escrevesse um texto pra cada pessoa que realmente me importo... seria um livro!

    Espero que se resolva com a sua amiga! ;)

    ResponderExcluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados