um blog de inspirações e expirações

7.8.11

estou caos e trovejando


daqui
Não há coisa que mude, ou que acalme, ou afague. Não há solução, nem soluços pequeninos. Não há escapatórias. Apenas a urgência de vestir a armadura e postar-se de pé, rezando estar realmente tão fincado no chão como se pensa estar, e assim não dar vazão a exércitos inimigos. Aí, nesse exato momento, pisco os olhos e vejo a devastação de uma ventania que já passou, e onde eu estava que não percebi? Agora não sei o que fazer com esse entulho que ficou me ocupando, impedindo de plantar novas mudas no meu jardim. 

É, percebi que estou terminando frases de maneira estranha, tentando fazer com que soe poesia. Também percebi que o máximo que estou conseguindo parecer é com uma poesia barata que foi escrita num pedaço de papel higiênico. Mas é exatamente esse o ponto: o pedaço de papel higiênico. Vai parecer drama de mulherzinha se eu disser que estou me sentindo um pedaço de papel higiênico? E não falo daqueles super macios, brancos, perfumados e folha dupla, e sim daqueles acinzentados de folha simples, que vêm enrolados em outro papel ao invés da embalagem de plástico. Não importa se pareça drama de mulherzinha: eu sou mesmo uma mulherzinha e o mundo não vive sem drama, então estou fazendo barulho à toa. Não me importa se você acha que é drama. Hoje, e apenas hoje, agora mesmo, me darei ao luxo de enfiar uma expressão feia no meio de um texto: foda-se. Um foda-se para você que acha que estou no meio de uma crise existencial, ou que tô azeda demais, ou precisando de sexo, ou o que quer que seja o seu pensamento de desdém para isso que eu chamo de direito de não estar me sentindo a gata do pedaço neste momento, por diversas razões. 

Só que... No fim das contas, esse texto/desabafo/coisa sem sentindo/liquidificação de frases aleatórias é sobre o mesmo assunto de sempre. A mesma coisa que me afeta todas as vezes, a mesma coisa que foi musa inspiradora para tantos outros desabafos literários. Não aconteceu nada, nenhum acontecimento desolador, é só que eu estou estraçalhada novamente, e veja só, pelo mesmo motivo que me esfiapou da última vez. Coisas boas sempre acontecem vez ou outra, ninguém vive cem por cento no inferninho, mas não faz diferença que elas aconteçam porque aquele velho fantasma idiota continua fazendo lanchinhos na sua cozinha.  O desgraçado já está até gordo. E você não vê como pode se livrar dele: não pode chamar a polícia ou os bombeiros e dizer que a sua casa foi invadida. Você não pode sequer pegar uma das suas facas de cortar carne para matá-lo e mandá-lo para o céu dos fantasmas gordos, porque enfim, ele já morreu mesmo. A pior parte é que ele não faz nada além de ficar comendo a sua comida favorita, sentado do seu lado, te olhando com o maior sorriso de ameba recheado de dentes, porque ele sabe que a simples presença imensa dele já faz um estrago mais pesado que a força que ele exerce sobre a terra. 

Você se vê sem saída. Eu me vejo sem saída, encurralada no canto da parede junto com todo aquele entulho da ventania do início do texto. E abrir as comportas simplesmente não está funcionando. Falar com Deus e exigir uma explicação ou uma solução rápida também não vai funcionar: eu posso falar com Ele e me lamuriar e choramingar e coisa e tal, mas eu não posso esperar ouvir aquela voz forte, retumbante e cinematográfica me indicando um caminho a seguir. Seria a confirmação da loucura, embora seja acalentador pensar que alguém te entende. Não te responde, certo, mas também não te julga. Fica ali, como o perfeito amigo que escuta tudo o que você tem a dizer, ou simplesmente a chorar, e não tem a infame ideia de ficar tentando te conformar dizendo lugares-comuns, apenas fica ali do seu lado, de alguma forma te aquecendo com o calor do corpo. De repente, acreditar que alguém zela por nós torna esse mundo cruel um pouco menos cruel. Sei lá como você se sente sobre isso, mas é assim que eu me sinto sobre isso. Na verdade, eu me sinto de muitas maneiras sobre muitos assuntos. E não é raro que eu não consiga entender o que está acontecendo. Como agora. Não, talvez eu esteja mentindo, talvez eu saiba que o problema é que eu vejo nítido na minha mente tudo o que ando desejando, mas não consigo materializar em minhas mãos.

Sabe aquele foda-se de antes? Por toda essa minha incapacidade e todo esse autoflagelo lírico, ele é para mim agora. Foda-se to myself. E viveram felizes para sempre.

21 comentários:

  1. por incrível que pareça, foi bom vir aqui e não me deparar com flores e dias azuis. eu sei que isso vai soar "egoísta", mas, sinceramente, é bom saber que eu n sou a única no mundo que me sinto assim.. meio perdida, sem saber como agir, com um problema tão antigo e tão "normal" nos meus dias... dou uma volta e meia e paro no mesmo lugar, no mesmo ponto (de interrogação?). eu também não sei o que falar pra ti, Gab. eu nem entendo o que se passa aqui, quanto mais aí.. mas sabe aquele amigo do texto, que te escuta e só, pode me considerar ele se quiser. talvez o frio da ventania que passou seja pra aquecer mais tarde, vai saber.

    um beijo,

    ResponderExcluir
  2. É tão engraçado isso... vc chega aki e de repente tem alguém q tá falando como vc se sente, ou como ela se sente, ou como todos se sentem...sei lá! Só sei q se for drama de mulherzinha, vc tem q rever os rótulos, tb tenho esses dramas... umas vezes ainda mais intensos, dignos de novelas mexicanas...outras vezes tão confusos q nem mesmo eu consigo entendê-los, apenas me consome e ponto! Todo mundo diz q isso passa, e vc vem e diz q coisas boas acontecem pq ninguém vive totalmente num inferno, mas convenhamos q as coisas boas não compensam as ruins...pelo menos não cmg! Beajoo Gaabs, amei o POST!

    ResponderExcluir
  3. Parece a Bruna falando,rsrsr...isso passa.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Também venho encontrando na escrita uma forma de espantar meus demônios ultimamente.

    Posso te confessar que eu mesmo fico esperando aquela voz forte, retumbante e cinematográfica me dizer o que fazer e aonde ir.

    Beijo Gabi.

    ResponderExcluir
  5. Eu também me lancei um foda-se to myself agora há pouco.
    Eu tenho um fantasma que gosta de deitar na minha cama e isso me deixa doida.
    Não é só você que se sente assim... E eu acho que é válido, é honesto e é de seu direito você fazer drama, porque é como você se sente.


    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Adoro tudo aqui.. então nem sei descrever.

    ResponderExcluir
  7. uau! que super texto!

    e é isso mesmo. tem dias que a gente se cansa da vida, se cansa de tudo, e vê preto e branco mesmo quando a vida está colorida. faz parte de nós e é assim que crescemos.

    beijinho

    ResponderExcluir
  8. Também já me senti assim. Pior: papel higiênico usado, pode?
    Quem dera te consolar agora. Fique com meu abraço. Beijão.

    ResponderExcluir
  9. mas relaxa.

    na hora certa vc vai saber o q fazer.

    ResponderExcluir
  10. uma grande amiga me disse essa semana: 'Deus não as coisas, te livra delas' ;)

    beijas, minha paçoquita :*
    s2

    ResponderExcluir
  11. A D O R E I e a última coisa que eu faria agora seri te julgar, as coisas que sentimos são para isso mesmo, serem sentidas e par quem tem um pouco mais de habilidade, serem também expressadas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. E quem nunca se sente assim, né? Da mesma forma que ninguém vive só de inferninho, ninguém vive só de céu...
    =/
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Só quero deixar uma ressalva importante: Leminski já dizia "que tudo se foda, disse ela, e se fodeu toda".

    Para mim, cantar Let it be funciona. (Ou pelo menos eu finjo que dá certo)

    ResponderExcluir
  14. foda-se é sempre libertador. e é a palavra mais poética que existe. junto com as suas irmãs. poesia libertadora de qualidade. você se sente muito melhor falando foda-se do que falando sobre nuvens, cores e metáforas teoricamente bonitas, não?

    ResponderExcluir
  15. é difícil quando a gente sabe o que tem que fazer mas não consegue dar o "foda-se", né?

    ResponderExcluir
  16. "(...)Também percebi que o máximo que estou conseguindo parecer é com uma poesia barata que foi escrita num pedaço de papel higiênico."
    "(...)Coisas boas sempre acontecem vez ou outra, ninguém vive cem por cento no inferninho, mas não faz diferença que elas aconteçam porque aquele velho fantasma idiota continua fazendo lanchinhos na sua cozinha."
    Isso me parece muito familiar. Também me sinto papel higiênico várias vezes e o pior, papel higiênico usado. Mas o que acontece é que não importa se você é o de folha simples acinzentada ou o branquinho perfumado, uma hora ou outra, somos todos papel higiênico.
    E esses fantasmas sempre existirão. Você vai vencer uns e, no lugar deles, virão outros. O ser humano é perfeccionista demais: ele mesmo cria seus fantasmas. Mas vou te contar um segredo: cada fantasma vencido, te torna mais forte! Um dia a gente aprende a, quem sabe, até conviver com eles de uma forma pacífica. Eu acredito nisso.

    Adorei o blog! Grande Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Estou do teu lado. Posso te abraçar?

    Beijo!

    ResponderExcluir
  18. A primeira vez que eu me identifico com um texto de alguém que eu nunca vi na vida. Obrigada.

    ResponderExcluir
  19. Gaabs.. seu texto é lindo.. exatamente pq não é uma poesia barata, é a sua vida e você se põe nele. \\ Dias cinzas sempre chegam pra todo mundo.. as vezes escuro e as vezes claro.. tbm passo pelos meus.. mas sabe de uma coisa: Eu consigo ouvir Deus (meu Papai), não audivelmente, mas tão real qnt se fosse.. através de tanto detalhe... ultimamente Ele tem falado mto a mim atraves de uma musica. Se puder pesquise e ouça ( me ama - diante do trono )
    ...
    Gaabs, Ele me ama. Ele te ama.
    "... teu amor e como um furacão e eu me rendo ao vento de sua misericordia; então de repente não vejo mais minhas aflições, eu só vejo a glória.. percebo o quão maravilhoso Ele é e o tanto que Ele me quer..."
    ...
    =)
    bjux lindaa

    ResponderExcluir
  20. Seu texto/desabafo falou e disse tudo que muitas(os) com toda certeza procuram entender, ou apenas tentar entender. Você sabe o que é exatamente, não se faz de coitada. Sei lá sabe, não sei me expressar muito quando um texto já se diz por si mesmo.
    Amei, até ;}

    ResponderExcluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados