um blog de inspirações e expirações

9.7.11

seis de julho


Sendo tão tempestade é quase impossível traduzir em ideias palpáveis esse buraco negro que carrego por dentro. 

daqui

Relaxa, baby, e flui: barquinho na correnteza. Admiro a tentativa, Caio Fernando Abreu, mas me diz: dá pra fluir barquinho na correnteza quando você próprio é um mar em fúria? Quando a conspiração desse universo que te odeia afoga qualquer nova alegria que surja na sua triste vida triste? Quando você tenta fincar raízes em um solo desconhecido e descobre que já é tão arborizado que não sobra espaço nem para o mirrado caule que é você?

A gente tenta ser barquinho na correnteza todos os dias. E a gente também reza feito mantra: que seja doce. Mas é amargo, querido Caio, tão amargo que chega a arder nos cantos da boca. Eu estou assim: barquinho naufragado na correnteza. Nenhum sobrevivente.

22 comentários:

  1. Não é fácil pra ninguém lutar contra a correnteza do dia-a-dia. Mas há o que se fazer? Como sair dela? Acho que precisamos de um barquinho mais forte, mais resistente.

    ResponderExcluir
  2. titanic?! '-'
    (hehe)

    beijas, paçoquita :*
    s2

    ResponderExcluir
  3. Realmente não é fácil, eu sei. Mas ninguém nunca disse seria.. portanto, temos que criar barcos mais sólidos e fortes, se não tratarmos de fazer isso, nos afogaremos em nossas próprias amarguras. Temos que esperar que seja sempre Doce, até que o azedo se faça presente! :*

    ResponderExcluir
  4. Eu sei como é, também estou assim, naufragado na correnteza...
    =(
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. "Eu estou assim: barquinho naufragado na correnteza" e procurando algo que flutue pra poder não afogar!
    Gostei do Blog! Grande Abraço

    ResponderExcluir
  6. Gosto de tentar seguir o Caio, gosto de tentar fazer com que seja doce, mais que sete vezes.

    Gostei do questionamento, bjs meus :)

    http://amar-go.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. “Você pode desperdiçar sua vida construindo barreiras e fronteiras ou então você pode viver ultrapassando-as. Mas há algumas que são perigosas demais para serem cruzadas. E aí vai o que eu sei: se você estiver disposto a se arriscar, a vista do outro lado é espetacular” Meredith Grey \\ Gabs, é mto dificil viver num planeta diferente do nosso, mas acredite... se tem lado ruim, tem que ter lado bom - é o equilibrio! \\ Como na música do Chimaruts: se a vida as vezes dá uns dias de segundos cinza e o tempo tique-taca devagar, bota o teu melhor vestido, brilha o teu sorriso, vem pra cá, vem pra cá! =)

    ResponderExcluir
  8. Querida, adorei a contraposição que você fez e relação aos textos do Caio. Caio é um grande escritor e você olhou por um ponto de vista oposto ao dele, querendo mostrar os dois lados dessas reviravoltas em que nos metemos ao longo da vida. Desculpe a demora para visitar aqui, eu estava viajando! Um beijo

    http://biacentrismo.blogspot.com - @biacentrismo

    ResponderExcluir
  9. Pois é. Muitas vezes, nem Caio F. salva.

    ResponderExcluir
  10. adorei o confronto com as palavras do Caio Fernando Abreu. meio que questionando uma frase que é vista como verdade. mas adoro novas interpretaçoes e metáforas :3
    e claro, adoro mergulhar nos seus textos e pensamentos, mesmo que sejam um mar em fúria <3

    se cuida Gabriela:*

    ResponderExcluir
  11. Não custa tentar. É difícil para todos nós, mas somos fortes, e vai ser doce, com certeza. Belo blog, beijos.

    ResponderExcluir
  12. e estou assim também, mas me sinto dentro do barquinho num mar turbulento. pior (ou melhor) que quando parece que vou me afogar, por instinto, agarro-me no primeiro suporte que acho pela frente.. sobrevivo por uns minutos e lá vem a correnteza novamente. sem freios. o mundo é dinamicamente amargo as vezes..

    ResponderExcluir
  13. não sobreviver à sua própria correnteza é uma boa coisa. significa liberdade, eu acho.

    ResponderExcluir
  14. E sempre tem a hora que o barquinho encharca e começa a afundar, não é mesmo?

    O jeito é aproveitar a paisagem enquanto dá.

    Beijo, Gabs!

    ResponderExcluir
  15. "dá pra fluir barquinho na correnteza quando você próprio é um mar em fúria?"

    Vc quer parar de me roubar os sentimentos? Fazfavô?
    ={

    ResponderExcluir
  16. Até o mar em fúria tem seus momentos de calmaria. E é aí que o seu barquinho flui.
    É o trabalho nosso de cada dia, achar a doçura no arder dos cantos da nossa boca. Não é fácil. Mas é recompensador.


    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  17. Acho que a maioria vive assim. Em alguns momentos fluimos, já em outros, naufragamos.

    É a vida.

    Lindo texto. Beijo!

    ResponderExcluir
  18. Lindo, lindo, lindo. Triste, muito triste porque me identifico tanto, porque também naufraguei...

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Que lindo, que lindo, mesmo! Também tenho me sentido como barquinho naufragado pela correnteza. Mas outros dias virão, e que sejam doces. Um beijo!

    ResponderExcluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados