um blog de inspirações e expirações

26.5.11

dia 8, semana 13


daqui
Então, eu só queria dizer o quanto eu me sinto idiota e pequenina e triste e deprimida quando me dou conta que ultimamente tenho andado totalmente dependente de você. E você parece não dar muita corda, e daí que você é sozinha e não conhece ninguém? Não é minha culpa. É, não é sua culpa. Nada de nada é sua culpa. A culpa é minha porque me depositei inteira num desconhecido, digo, pré-conhecido. Mas eu só queria um amigo, uma companhia. Eu nunca disse, e nunca direi mesmo: eu morro de medo de me apaixonar por você. Porque gostar de você eu já gosto, e olha que perigo, gosto de você, do seu sorriso, da sua voz, e você é gentil. Você é um perigo constante de possível paixonite. Tantos caras por aí transbordando defeitos, cafajestagem, e você me aparece assim, no mínimo, um bom partido? Deus me livre de você, sabe? Deus me livre muito de você. De você que só querer conhecer pessoas para aliviar as dores antigas não bem vindas assim tão cedo. Deus me livre do amor, nunca pensei que fosse dizer um disparate desses; ter medo de sofrer por alguém? Nunca tive dessas frescuras, mas hoje sim, mas agora sim, mas você sim. Deus me livre. 

Às vezes fico pensando como diabos você me agüenta (hum, acho que só eu junto deuses e diabos no mesmo texto).  Sim, porque eu sou tão carentezinha. Tão fácil me machucar, só dizer que não gosta de mim, que sou feia, ou que sou chata. É, não tenho mesmo essa utopia que alguns chamam de auto-estima. Fica a dica para quem não vai muito com a minha cara. Eu murcho como uma plantinha longe de sombra, longe de água que perdeu todas as esperanças de continuar de caule em pé. Eu tenho pena de mim todos os dias dessa triste vida que é a minha. E, sim, eu faço um drama miserável, né? Marca registrada. Mas o fato-fatasso é que sou mesmo uma pessoa muito carente de outras pessoas. E já disse isso tantas vezes que, poxa vida, por que eu ainda não cansei de repetir a mesma ladainha? Para virar mantra, novena? Para que as pessoas saibam que sou carente e preciso de um Oi delas para alegrar uma nesguinha ínfima do meu dia. Quando não acontece, repito cem vezes mentalmente Alguém fala comigo, por favor, e começo a jogar ao vento algumas indiretas ou artifícios para chamar a atenção de alguém. Me nota!!! Ah, se melancias não fossem tão pesadas... Acho que perdi total a minha dignidade.


 Diário de ninguém, pág. 57.

26 comentários:

  1. Oun Gabi, ta vendo nem adiantou vc querer fugir pras Colinas, pelo visto a paxoniite já te pegou né.

    ResponderExcluir
  2. Não adianta correr, né... O bichin que provoca cócegas no estômago já te mordeu. :')

    "Deixa, deixa entrar, Gabs..."



    ps: Juro que nas primeiras linhas quase achei que você ia brigar comigo por eu ser tão desleixada :(

    ResponderExcluir
  3. O teu blog tem um ar tão convidativo.

    Encantador, aos litros.

    :)

    ResponderExcluir
  4. Lindo demais Gabi *-*
    E a paixão te pegou de jeito hein? rs

    ResponderExcluir
  5. Você escreve bem até essas coisas assim, um tanto difíceis de serem ditas, eu confesso que tenho síndrome de invisibilidade, não gosto nenhum pouco de ser notada onde chego, prefiro ficar na minha e tal, outros casos é quando já vou com uns amigos aí fica até mais fácil pra eu fazer novos amigos assim por meio de apresentações. (:

    ResponderExcluir
  6. Não acho que perdeu sua dignidade,vejo aqui alguém que se conhece, que sabe seu mecanismo, não acho que tem que se lamentar, poucas pessoas se conhecem assim, outras nem se atrevem, pois fazer isso dói.
    Acho que tem que levantar a cabeça e dizer: Sou melancólica sim, carente sim, e daí, certamente alguma coisa você também é.
    Adorei o texto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. É, quando a gente menos espera, vem o bichinho, entra e nem se quer pede licença...tô me sentindo bem assim. Parabéns Gabi, é exatamenteo que eu to sentindo!

    ResponderExcluir
  8. Amor é assim mesmo, faz do profano e do divino uma coisa só. Adoro esses seus trechos inacabados. Acho que é meu marcador favorito.

    É eu só tenho 16. Ninguém me dá mais que 12. Com alma de 70.

    ResponderExcluir
  9. Muito lindo o seu texto! Mas sinto dizer-lhe que vc já está nas redes do de repente amor! rsrsr.

    ResponderExcluir
  10. e depois de ler isso, acho que continuarei de mandando sms bem no começo do dia :)

    ainda bem que sou paçoca e bem leve ;B

    beijas, minha melancia :*
    s2

    ResponderExcluir
  11. eita, eita!
    pelo visto, não há mais coomo ser livrada, vc já está dentro disso tudo.
    ^^
    cuidado e felicidades!
    =***

    ResponderExcluir
  12. Texto maravilhoso!!
    Parabéns pelo blog! Adorei!

    ResponderExcluir
  13. Ahhhhw, mas "apesar de" quando o bichin da paixonite pega é tão bom..

    Texto lindo, como sempre e sempre.

    ResponderExcluir
  14. "quando percebi que deveria amar-me primeiro, nunca mais amei ninguém acima de tudo, a não ser a mim".


    fernand's



    bjsmeus

    ResponderExcluir
  15. É sempre difícil compreender este misto de sensações. Esta ansiedade batendo no peito e as verdades estampadas na cara. O que amamos, o que somos, o que não temos, a carência que nos envolve. É inerente a todo ser humano este diálogo, este questionamento ante o amor próximo, ou a todo este encanto que pode surgir.

    Enfim, quando menos percebemos lá topamos que o que acreditamos e então bate a real. E notamos até que ponto nós chegamos na vida. E até achamos que perdemos muito de nós.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Realmente brilham no escuro ;)
    Mas vai ver, outras pessoas notam, mas vc quer a atenção de uma outra rs.
    bjos

    ResponderExcluir
  17. Esse sentimento que faz o coração pular de tão intenso, isso é bom - não é bom se destroir.

    ResponderExcluir
  18. É Gabi, às vezes se sentimos assim mesmo. é medo, é falta de coragem, ou até mesmo uma coragem grande de ter medo. ou algo assim. é estranho, mas é preciso, sabe?

    - Deus, me livre!, já disse tanto isso. agora estou aqui enchugando meu propio coração que virou gelo por causa dos outros.

    O texto esta maravilhoso, eu lhe espero lá no meu espaço, espero que leia, e viaje no meu novo texto, se possivél.
    Um grande abraço.
    www.iandeee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Sabe Gab's. Cada vez que venho aqui te ler, é como se se as letras gritassem comigo de uma vez só. Eu nem preciso ler com os olhos, porque aqui dentro do peito as letras vão se moldando e tomando forma de sentimento. É Gab's a carência é assim discreta, calada mais não é fofa. É ardida feito pimenta e queima por dentro.
    E quanto as paixonites acho que agora vc tá lascada. ! Te pegou!

    Um beijo lindeza!

    ResponderExcluir
  20. Nunca se culpe pelo o que o seu coração sentenciou.

    Beijos. Gostei do novo lay, você tem um excelente gosto!


    O Soltando Linhas completa o seu primeiro ano. Obrigada por estares presente, enfeitando o meu espaço com o calor das tuas palavras.

    ResponderExcluir
  21. fofinho <3
    carência de pessoas é bem complexo. e juntar isso com medo de se apaixonar, nossa.
    abandona essa vida ahaha.

    mas adoro suas palavras, tão puras e sinceras, como se estivesse ouvindo os desabafos de uma amiga às duas da manhã.

    se cuida :*

    ResponderExcluir
  22. Leveza, doçura, sentimento. Quase um torrão de açúcar, sem o excesso de melodrama.
    Ah como tuas palavras entram em mim, e se parecem tanto comigo, de mim.
    Obrigada por conseguir expressar o que eu demorei pra entender.

    ResponderExcluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados