um blog de inspirações e expirações

10.10.10

carlota

Primeiro de tudo, Carlota não é e nunca foi nome de gente. Carlota. Vê só, soa tão anos 20; os anos dos meus sonhos são os 50. Devia ter nascido lá, sessenta anos atrás. Quando eu era criança, me chamavam de cartola. Fuleragem daqueles moleques sem imaginação nem pra inventar um apelido que valesse a pena ser pronunciado. Cartola só ofende coelho. 
Ainda tem as sardas. Eu tenho a cara enferrujada. Já passei todo tipo de creme miraculoso, base de toda e qualquer cor, já passei argamassa também. Nada me tira esse aspecto de milho seco. Minhas pernas são compridas demais pro meu tronco, coisa assim de se notar a distância, então está decidido que o amor da minha vida só me amará se topar comigo de repente numa virada de esquina. Eu gosto de jazz. Com aquela pegada rouca so sexy. Intimamente sou muito lasciva, mas quem me vê atravessando uma rua enxerga só uma garotinha curiosa que anda observando o mundo. E nisto não estão errados, acho lindo observar o mundo. As pessoas, as cores, os cheiros, os toques, os sons, os passos, os dentes, as luzes, os dedos, cabelos, abraços, braços e beijos e bocas. Gosto de perfume barato, são mais decentes. Gosto de meia-calça, salto alto e vestido de cintura marcada porque nasci mulher nessa vida e não me cabe fugir disso, que ser mulher eu acho digno. Escrevo escondido, numa máquina de escrever. Computador me tira a inspiração. Não sei lá quem disse isso, mas era com máquina. Máquina tira a inspiração, que só escrevia de lápis. Eu não escrevo de lápis que minha letra enfeiou muito. Amigos guardo dois ou três. Tristeza guardo vinte ou trinta ou quarenta. Tristeza guardo muitas, que apesar de esperta, a mágoa me dobra e sempre me pego pensando numa dor que fulano me causou sem querer. Ou querendo. De chorar já parei há muito. Minha idade é de menina, mas a vida é espessa, de velha enrugada. Me espanta caber tanta coisa dentro de uma pessoa, tanto ódio, tanto amor. Por tudo. Todos.

do fictício: Cartola e coração, pág. 2.


P.S.: Resolvi organizar os textos em marcadores, mas vai dar muito trabalho, então do post anterior até o primeiro, manterei todos no mesmo marcador, com nome característico, e na medida do tempo e do meu saco, vou organizando em marcadores próprios. Também preciso organizar a página 'eu leio' com os links do povo, mas tô com preguiça, ó.
P.S.: Eu tô numa de usar a palavra coração. Já estou ficando aflita com essa carência. :s

33 comentários:

  1. Olá estranha,

    bem, começando e achei o nome do blog, desculpe o palavriado, muito foda. E aí eu entrei no blog e vi que não só o nome era encantador, mas as escritas também são, as citações, o jeito como você se descreve, o layout, tudo.

    Além do mais, eu tenho certa fixação em blogs e escritas de mulheres, acho que vocês, sei lá, tem uma capacidade super-heroica de escrever.

    Voltarei mais vezes,

    Dalton.

    ResponderExcluir
  2. gracioso, engraçadinho... daquele tipo de sorriso triste, mas sorriso.
    eu gostei muito, muito mesmo.
    e também me espanta saber quanta coisa cabe dentro de cada gente.


    ResponderExcluir
  3. Fiquei com imensa vontade de ler esse livro!
    vou vê se baixo da net!!
    e sim, ainda me interesso em aprender a fazer o lay!
    me adiciona no msn
    (vandinhatheangel@hotmail.com)

    ;*

    ResponderExcluir
  4. também acho que nasci na época errada, sou um poço de mágoas e tristezas, a minha inspiração morreu e eu a manuseio assim mesmo, mas as sardas... sempre morri de inveja!

    ResponderExcluir
  5. ah, também morro de inveja da sua habilidade pra mudar a cara disso aqui.

    ResponderExcluir
  6. Não há porque se rejeitar tanto. Se gosta tanto de observar tudo ao seu redor, observe-se mais. Tenho certeza que encontrará algo bom. rs

    Adoro vir aqui e o blog ter sempre uma cara nova.
    Meu beijo.

    ResponderExcluir
  7. Já estou ficando aflito com essa carência. DOIS.

    caraca, isso é um livro? vou procurá-lo.

    ResponderExcluir
  8. Adorei!
    parabéns, acho que não tenho nada mais a dizer.

    ResponderExcluir
  9. Poxa, adorei.
    Bem que poderia ter uma continuação, hein?
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Mas tá virando livro? Gostei muito!!

    O que cabe em nós é parte do que nos resta.


    Linda beijos pra vc!boa semana!

    ResponderExcluir
  11. Um tempo sem vir aqui. Vc sumiu =/

    sumiu do blog, do meu, mas, graças à Deus ainda continuas com toda aquela lenidade da primeira vez que vim aqui.

    Os momentos felizes, os melhores, ñ aqueles em que a casa caiu, sempre deixam raízes para que possamos trazer mais felicidade!

    Te adicionei no orkut,ok?

    forte abraço.

    ResponderExcluir
  12. *-* Gosteei muito do texto, fiquei com vontade de ler o livro ^^ Seu blog está lindo, como sempre!
    Se me permite perguntar, como vc colocou a data nesse formato bonitinho?
    Beijos, Amanda!

    ResponderExcluir
  13. Gostei demais do texto.
    O blog é lindo, o nome é maravilhoso e você escreve bem abessa.
    Enfim, segui e favoritei.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Ah, lega, gostei desse!
    Muda seu apelido então, você pode se chamar Jabanância, que tal?
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Faço minhas cada palavra da minha amiga Franciellen. Esse texto é uma doce mistura de graciosidade com a tristeza de um cuotidiano peculiar.
    ''...os anos dos meus sonhos são os 50. Devia ter nascido lá, sessenta anos atrás. ''*
    *Também tenho esta sensação às vezes...
    Beijos, flor. Layout lindo!

    ResponderExcluir
  16. Gosto tanto desses seus textos biográficos, pois a cada frase noto o motivo que me levou a gostar de tu, paçoquita perna.longa (hi hi)

    beijas ;*

    ResponderExcluir
  17. Oi. :D

    Eu tava lá no StayForTea e, mexendo por lá, encontrei aqui. O nome, achei lindo, bem poético. Já me mexi em tudo quanto podia por aqui, encontrei coisas algumas coisas muito bonitas, outras muito malucas e outras muito os dois, rs. Além do mais, o seu jeito de escrever me lembrou o jeito de falar de uma amiga minha. :S rs

    Voltarei sempre que puder. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  18. os anos dos meus sonhos são os 60.:)

    E esse livro, flor? Gostei muuuuito do trecho, fui procurar no google e... necas de pitibiribas! É você que tá escrevendo? Porque potencial tem!

    P.s.: vou por o lay agorinha. :)
    P.s.2: quando achar remédio pra carência, me recomende ;s

    ResponderExcluir
  19. Só digo uma coisa, Gabi: Quando crescer, quero ser igual a você.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. Acho que sou meio Carlota.
    E a propósito, isso aqui é muito gostoso de se ler.
    :*

    ResponderExcluir
  21. Adorei, a parte da máquina de escrever, me chamou a atenção.
    Adorei tudo na verdade.

    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Você escreve muitíssimo bem, a história está encantadora! :)

    ResponderExcluir
  23. Muito bem escrito, você tem talento, de verdade. Eu (acho que muitas outras garotas) me encaixo em muitas características da Carlota, a mágoa é uma coisa que incomoda muito minha vida.

    ResponderExcluir
  24. É esse tipo de texto que 'não querendo dizer nada mas que nos faz sentir muito' que acho a coisa mais encantadora do mundo!
    Concordo, um sorriso meio triste mas sorriso, quase choro, mas ainda assim sorriso.
    Quero ler. Você não tem Skoob não Gabi?

    ResponderExcluir
  25. Adorei!!
    Tem cinco poemas novos em meu blog http://lenjob.blogspot.com e lhe apresento o Castelo do Poeta, http://castelodopoeta.blogspot.com, um super canal interativo de arte. Me fale o que achou, viu?? Abaixo poema.

    João Lenjob

    Na Nossa Tela
    João Lenjob

    Se quiser o céu numa tela
    Eu o trago até você
    Eu lhe dou pincel, tinta e uma aquarela
    E as cores, dá você
    Venho com estrelas, cometas e uma lua bela
    Mas o sol, traga você.

    Dance no céu, pintando como bailarina
    Que sou platéia pra você
    Seja a pintura mais pura, doce menina
    Que sou menino pra você
    Dê-me o amor da arte mais divina
    E do amor faço você.

    Ame menina, na nossa tela
    Aquarela, eu e você

    Se por acaso alguma cor lhe falta
    Eu faço em verso pra você
    Viro então um poeta astronauta
    E fico no céu pra você
    Enquanto pinta a nossa pauta
    A poesia é feita pra você.

    ResponderExcluir
  26. onw, gostei!
    tão delicadinho, mas tão lindo!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  27. Olá,

    muito bom seu blog! Você já deve saber, né?

    Beijos

    ResponderExcluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados