um blog de inspirações e expirações

20.5.09

Eu também amei Dulce

Quem é aquela mulher, cheia de cores e manias?

É Dulce, alguém perto de mim falou. Dulce. Achei que o nome lhe caia bem. Ia perfeitamente a contraste com a aparência dela. Parecia um anjo barroco docemente encrenqueiro. Cabelos curtos e vermelhos, cacheados nas pontas. Dulce era conhecida das pessoas nesse lugar. Apesar de não ter morada certa - aquela mesma pessoa que me apresentou ao nome de Dulce me contara isto também – sempre voltava aqui. Rever pessoas. 

Fiquei sabendo de várias histórias sobre Dulce. Histórias da vida de Dulce. A Dulce que se envolveu com folhas arrancadas de um caderno, por causa da chuva... Para mim, parecia óbvio que aquele improviso de papel não duraria nada. Sendo assim, me perguntei se Dulce era estúpida, mas ao olhá-la mais uma vez, ali a apenas dois metros de mim, percebi que o estúpido era eu. Dulce era única.

Ela não parecia se importar com os olhares que as pessoas a lançavam. Mesmo sempre vindo aqui, sempre voltando e revendo as mesmas pessoas, parecia que sempre voltava mudada. Apesar de igual, voltava diferente. E isso era sabido pelos habitantes daquela cidade. Dulce só se interessava pelos seus queridos. Só voltava pelos os seus queridos. Para os seus queridos. Ali a alguns centímetros de Dulce, eu fiquei sabendo de tudo o que se falava sobre ela. Todos os episódios, todos os casos.

Em pouco mais de dez minutos, eu consegui amar e odiar Dulce inúmeras vezes.



_______


Dulce nasceu de uma lírica, contou alguns sofismas (sofismas estes que eu peguei emprestado no meu texto),  cantou  líricas(para honrar sua origem), silenciou palavras e hoje brinca de ser outra pessoa, porque eu também amei Dulce. 

8 comentários:

  1. Não tem como não amar e odiar Dulce. Ela é tão... Tão Dulce.
    ~

    Amada,
    peguei os backgrounds aqui:
    http://background.myem0.com/

    tem mileuma opção :)

    ResponderExcluir
  2. Gabi, teu texto tá totalmente fora da margem, ultrapassando essas bolinhas aqui. Conserta? Foi um sacrifício conseguir te ler, cara.

    Mas, ó, posso falar? Que é issooooo? Hauhauhuahuahua. Dulce arrancando ódios e amores por todo canto. Tô começando a ficar com pena. Acho que ela vai ser santa, se houver um próximo texto.

    Rs.

    [Adorei].

    Beijo, frô.

    ResponderExcluir
  3. Santa??? Não mesmo!!!!!!!!!!

    Meu, quem não sente nada com Dulce, simplesmente não sente.

    Dulce - Vermelho-Sangue...


    E eu só anotando as passadas de Dulce por aqui e por ali...

    Até.

    ResponderExcluir
  4. Ah, aquela tarde chuvosa em que Dulce, louca, arrancou as folhas do caderno. Quem não se afligiria com tal situação? Quem, também, não morreria de amores por tamanho desparate?

    É, Gabi. O amor por Dulce nasce dessas histórias. Só dela. Nossas, também, que a prolongamos com medo de que ela se perca em nós.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Em pouco mais de dez minutos, eu consigo amar e desamar pessoas inúmeras vezes.

    ResponderExcluir
  6. 'Em pouco mais de dez minutos, eu consegui amar e odiar Dulce inúmeras vezes.'

    Acho que isso acontece comigo (e com todos), não só em relação a Dulce. Amo e odeio pessoas em frações de segundo :)

    ResponderExcluir
  7. Dulce!me lembrei foi da cantora do RBD!
    SOU IGUAL A DULCE TBM ODEIO AS PESSOAS MUITO RAPIDO!

    ResponderExcluir
  8. Ai adorei, bem criativo! Até eu quis conhecer Dulce agora.

    ResponderExcluir

♥ Você pode comentar usando apenas seu Nome e Url: selecione a opção no menu suspenso "comentar como".

♥ Alguns comentários podem não ser aceitos, dependendo do cunho da mensagem. Seja gentil na blogosfera.

Obrigada por comentar. Sua visita e opinião são importantes para mim.
Volte sempre!

 
© 2009 - 2016 . todos os direitos reservados